(41) 9616 2248
Facebook
E-mail

50 TONS DE AZUL: O SENSACIONALISMO MATA TODOS OS DIAS!

Quero fazer um alerta para escolas, professores, pais de alunos e para toda a sociedade civil. Há um fenômeno bastante triste que está acontecendo em todo o país, do ponto de vista da análise do discurso e da responsabilidade intelectual e legal para com o discurso.
A pretexto de “esclarecer e informar” a sociedade, alguns veículos de comunicação estão, contrariando o artigo 122 do Código Penal Brasileiro e para conquistar audiência, fazendo uma verdadeira PROPAGANDA de certo jogo sinistro e inconsequente.

Ah, Professor Robson Lima, mas quanto mais informação, melhor, não é?

NEM SEMPRE! Cuidado com essa falácia criada no mundo da superinformação.

E, por falar em informação, vamos a algumas informações que, na contramão de algumas mídias que estão mais preocupadas com a visibilidade de seus anunciantes e com o valor do segundo de veiculação do que com a vida propriamente dita, valem apena serem meditadas.

A obra “Os sofrimentos do jovem Werther”, escrita em 1774 pelo romancista alemão Johan Wolfgang Von Goethe, conta, dentre outras coisas, a história de um personagem que se mata por amor e acaba influenciando outros jovens a cometerem o mesmo ato. Há, na Psiquiatria, um fenômeno chamado de efeito “Werther”, por isso é proibida a divulgação de tal ato em qualquer veículo de comunicação. Se formos ler os obituários dos jornais, constataremos que isso é verdade. Esse ato que acometeu o jovem Werther não é divulgado.

Essa verdadeira PROPAGANDA disfarçada de “informação” pode trazer mais malefícios do que benefícios. De acordo com o artigo 122 do Código Penal brasileiro:
“no decreto-lei n.º 2.848, de 7 de dezembro de 1940,
estabelece o seguinte acerca do suicídio: no Título I dos crimes contra a pessoa:
INDUZIMENTO, INSTIGAÇÃO ou auxílio a suicídio,
Art. 122 – Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:
Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.
Parágrafo único – A pena é duplicada:
Aumento de pena
I – se o crime é praticado por motivo egoístico;
II – se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.”

Pelo bem de todos os nossos jovens é preciso tomar muito cuidado antes de “divulgar tais informações”, que geralmente antecedem ou precedem propagandas de grandes anunciantes a pretexto de aumentar o valor do anúncio.

Também faço um alerta especial para as ESCOLAS: cuidado com a boa intenção e com a interdisciplinaridade inconsequente!
Qualquer pai que comprove que a escola está, em desacordo com o artigo 122 e em desacordo com o que prescrevem especialistas em psiquiatria, promovendo, de certa forma, o “Efeito Werther” pode acionar a justiça.

Portanto, colegas, falemos DA VIDA E DO MELHOR QUE ELA TEM! O melhor da vida na Matemática, o melhor da vida na Biologia, o melhor da vida na Filosofia, o melhor da vida na Literatura e isso em todos os componentes curriculares.

É com luz que combatemos as trevas e não com mais trevas.

É o melhor que podemos fazer e é o que sabemos fazer de melhor! Conhecimento é luz e luz é vida!

Deixo claro: NÃO SOU CONTRA INFORMAÇÃO, mas informação não é conhecimento e o que está ocorrendo já extrapolou os limites legais e saudáveis da questão. A adolescência é uma fase de experimentação e, depois de tanta PROPAGANDA travestida de “informação” ou de “boa intenção”, não podemos calcular os danos vindouros de tanto SENSACIONALISMO.

Portanto, vamos nos desligar de noticiários SENSACIONALISTAS, de programas APELATIVOS ou de qualquer mídia que, ignorando o Código Penal brasileiro e a recomendação de especialistas, atentem contra a segurança de nossos amados jovens.

A VIDA É BELA E VIVER SEMPRE VALE A PENA!

ISSO É O QUE DEVE SER PROPAGANDEADO EM CADA AULA, EM CADA ATIVIDADE, E EM TODAS AS ESQUINAS DESTA VIDA!

E, AO DOBRARMOS CADA ESQUINA, SEMPRE NOS DEPARAREMOS COM MAIS UMA BELA AVENIDA E OUTRA E OUTRA…

SEMPRE PARA CIMA!

SEMPRE IREMOS NOS RECOMPOR PARA COMPOR O ESPETÁCULO DA VIDA!

DESISTIR: NUNCA!

Um fraternal abraço a todos!

Prof. Robson Lima

REFERÊNCIAS:
BRASIL. Código Penal. In: Vade Mecum. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
BUCCI, Eugênio. Sobre ética e imprensa. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
DURKHEIM, É. : O suicídio, estudo de sociologia. Tradução Monica Statel. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
GOETHE, Johann Wolfgang. Os sofrimentos de Werther. Tradução Ary de Mesquita. Rio de Janeiro: Ediouro.
KALINA, E. e KOVADLOFF, S. As cerimônias da destruição. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves S/A, 1984.
SAMPAIO, D. : Ninguém morre sozinho, o adolescente e o suicídio. Lisboa, 1993, 13ª. ed. 2002.